III Congresso Eucarístico e Mariano

Postado em: 30/08/2017 10:07:28

HISTÓRICO DOS CONGRESSOS EUCARÍSTICOS E MARIANOS DA DIOCESE DE ILHÉUS

O 1º Congresso Eucarístico e Mariano da Diocese de Ilhéus aconteceu no período de 27 a 31 de outubro de 1954. Este evento foi realizado em adesão ao XXXVI CONGRESSO EUCARÍSTICO INTERNACIONAL celebrado no Rio de Janeiro de 17 a 24 de julho de 1954, em comemoração do Ano Santo Mariano decretado pela passagem do primeiro centenário do dogma da imaculada Conceição.

O 2º Congresso Eucarístico e Mariano da Diocese de Ilhéus aconteceu entre os dias 23 a 30 de agosto de 1987, por ocasião das reformas realizadas na Catedral de São Sebastião.

O 3º Congresso Eucarístico e Mariano acontecerá entre os dias 24 de setembro a 1º de outubro de 2017, motivado pelos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida e os 50 anos de sagração da nossa Catedral Diocesana, Catedral de São Sebastião e terá como tema central “A Virgem Maria no Mistério de Cristo e da Igreja”.

No período de 24 a 30 de setembro as atividades do Congresso serão realizadas nas 41 Paróquias que compõem a Diocese de Ilhéus, destas 27 estão localizadas fora da cidade de Ilhéus-BA.

No dia 1º de outubro, todas as Paróquias participarão do evento unificado que acontecerá em Ilhéus e será organizado por plenárias em locais distintos da cidade, conforme programação do Congresso.

HISTÓRICO DA CATEDRAL DE SÃO SEBASTIÃO

O projeto da majestosa Catedral de Ilhéus é do arquiteto Salomão da Silveira e tem estilo considerado eclético. Dom Frei Eduardo José Herberold, bispo recém-chegado, benzeu o terreno em 1931, no local onde foi demolida a capela de São Sebastião e a obra foi iniciada, e logo paralisada.

Houve grande discussão sobre o estilo e a localização. Para se encontrar uma solução, o prefeito Eusínio Lavigne decidiu consultar o diretor da Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro, professor Arquimedes Memória.

Este importante templo da Igreja Católica representou por mais de trinta anos o sonho da comunidade ilheense e do bispo que iniciou as obras, D. Eduardo, que foi sepultado na própria igreja, antes mesmo de ser concluída, sendo considerado santo por muitos fiéis. A Catedral Diocesana só foi inaugurada em 1967, mais de trinta anos depois da obra iniciada.

O tamanho da igreja impressiona. Ela tem, em sua abóbada principal, 48 metros de altura. Não pode ser considerada um primor da arquitetura, mas tem um enorme valor religioso e cultural para a sociedade local e para a atividade turística do município.

Segundo depoimentos a “maravilha das maravilhas foi a sua inauguração”. Naquele dia a cidade foi invadida por bispos e cardeais. Até o representante do papa, o Núncio Apostólico, D. Sebastião Baggio veio para a inauguração. E o coral da professora Maria de Lurdes Abreu cantou O Messias, de Haendel. No dia da inauguração, a Catedral parecia um Vaticano em miniatura, tal a beleza, a pompa e circunstância daquela festa.

A Catedral de São Sebastião é, sem dúvida, o mais importante símbolo religioso da cidade de São Jorge dos Ilhéus e ponto de atração turística dos mais importantes.

Hoje nos preparamos para celebrar os cinquenta anos da dedicação deste suntuoso templo católico, de onde Dom Mauro, nono Bispo diocesano, pela sucessão apostólica governa, ensina e santifica o povo de Deus que constitui a Igreja Particular de Ilhéus, com o III Congresso Eucarístico e Mariano.

300 ANOS DA APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA APARECIDA

No ano de 1717, três pescadores, levados por necessidades históricas e econômicas, saíram a pescar, no rio Paraíba do Sul, em São Paulo, numa época escassa de peixes. Por ação misteriosa, chegando ao “Porto de Itaguaçu”, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu que se tratava da Senhora da Conceição. Depois do encontro da Imagem, a pesca de peixes foi abundante e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele singular evento. Por assim ter aparecido, o povo chamou-a de “Aparecida”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha em 1904, e a Padroeira do Brasil em 1930.

O projeto pastoral que prepara todo o País para o jubileu dos trezentos anos tem como objetivo promover a evangelização, propagar a devoção a Nossa Senhora e preparar toda a comunidade católica no Brasil para que participe desse grande momento festivo. De cada capital visitada, é colhida uma porção de terra para que seja composta uma coroa jubilar. Uma caminhada que deverá unir o Brasil ao redor de Nossa Senhora Aparecida, por laços de fé e amor.

“Viva a Mãe de Deus e Nossa sem pecado concebida, Salve a Virgem imaculada, ó Senhora Aparecida”!

O marco dos trezentos anos será o Campanário do Santuário Nacional, projetado por Oscar Niemeyer, com sinos fabricados na Holanda especialmente para esta obra. Aqui em Ilhéus, a Imagem peregrina percorreu todas as Paróquias da nossa Diocese com uma animada programação evangelizadora e concluímos com uma Romaria Diocesana ao Santuário e a entronização da Imagem peregrina em nossa Catedral Diocesana.

“É a Mãe que vai ao encontro de seus filhos, para que os filhos venham até a Mãe, no Santuário Nacional”.

 


PROGRAMAÇÃO

Dia 1º de outubro de 2017


08h                      Acolhida das Paróquias | Nas Plenárias

09h                      Oração e Louvor Mariano

10h                      Mensagens nas Plenárias

12h                      Almoço

13h30min        Procissão Eucarística

14h30min        Missa Solene

16h                      Show de Encerramento | Banda Anjos de Resgate

PLENÁRIAS

  1. GINÁSIO DE ESPORTES HERVAL SOLEDAD
    • Pastorais, Movimentos e Grupos da Juventude
  2. CENTRO DE CONVENÇÕES LUÍS EDUARDO MAGALHÃES
    • AUDITÓRIO PRINCIPAL
      • Demais Pastorais, Movimentos e Grupos
    • AUDITÓRIO SECUNDÁRIO
      • Pastoral da Catequese e crianças
  3. CATEDRAL DE SÃO SEBASTIÃO
    • ​​​​​​​Renovação Carismática Católica
    • Adoração ao Santíssimo Sacramento
    • Intercessão do Congresso

Santa Mãe de Deus intercedei por nós!